quarta-feira, dezembro 08, 2021

São assim as árvores


São assim as árvores: cúmplices e companheiras num aparente mutismo. Por vezes, sob o impulso do vento, esse agitador, sussurram-nos suaves melodias, outras parecem protestar de uma raiva desconhecida, agitando os ramos e as frágeis folhas.

São incoerentes as árvores: vestem-se quando o calor se avizinha e despem-se, atirando com fingida displicência a folhagem ao chão, quando o frio ameaça e, depois, se impõe.

São assim as árvores: generosas – e gratas - na partilha do fruto, da lenha e da sombra, numa obediência voluntária às necessidades dos homens.

Como anciãos experientes e sábios, as árvores falam-nos, sem voz que se oiça, do tempo, do que passou e do que há de vir.

São assim as árvores: monumentos de raízes no chão e de braços erguidos ao céu, agradecendo a chuva que as alimenta e o sol que as ilumina e revigora.
deep, 08/12/2021

domingo, novembro 28, 2021

Wattpad

 

Quando era miúda, gostava de ler. Como não tinha muitos recursos para comprar livros nem as duas livrarias da vila ofereciam uma diversidade de títulos apetecíveis, frequentava a biblioteca pública, uma sala da Gulbenkian, instalada no edifício da Câmara Municipal. Aliás, era nas traseiras desse mesmo edifício que estacionavam as carrinhas cinzentas da Biblioteca Itinerante.

Talvez por gostar de ler, nasceu em mim, quando frequentava o 9.º ano, a vontade de escrever uma espécie de conto, que ocupou todo um caderno de tamanho A5, de capa com um padrão de xadrez. Partilhava este gosto com uma colega com quem, no 10.º, competiria na leitura de todos os policiais de Agatha Christie e de A. A. Fair que havia na biblioteca.

Hoje, algumas adolescentes (só tenho conhecimento de raparigas) – fiquei a sabê-lo há dias – usam aplicações para ler e para escrever histórias, entre as quais o Wattpad. Ainda não fiz a inscrição, para me certificar da qualidade e do teor dos textos, mas não deixo de ficar satisfeita por saber que há, entre as novíssimas gerações, quem leia e quem escreva, num momento em que eu pensava que já não havia remédio. 

segunda-feira, novembro 15, 2021

O meu Outono







Não é lazer... é trabalho de fim-de-semana.

 

quarta-feira, setembro 22, 2021

Felicidades, muitas...

Um nascer do Sol em Trás-os-Montes e um poema para a ana e para a CC, que hoje estão de Parabéns.



Indago a forma definitiva do outono.
Um diálogo pode mudar a paisagem.
Fazer nascer um poema.
Criar obsessões.
Destruir emboscadas.
Cada instante é a metamorfose
de uma asfixia interior.
Confundo os caracteres e um imaginário
se revela numa iconografia fantástica.
Nas entrelinhas, um espectáculo de ironias
reitera entregas e recusas
como um dever por cumprir.
Graça Pires, Outono: lugar frágil, 1994

 

sexta-feira, setembro 10, 2021

Brilha o céu, tarda a noite

 


Mário de Carvalho, Um Deus passeando pela brisa da tarde

sábado, agosto 28, 2021

Três Marias


"As três Marias", em Vila Nova de Cerveira

 

segunda-feira, julho 12, 2021

Mudar de casa


Evgenyi Monahov
 

É bom mudar de casa, de janela,
arrumar de outra maneira as ilusões,
tratar de coisas puras como tintas
e sofás, pôr ordem entre os livros
e a vida, simular a liberdade.
Parece-nos possível voltar a acreditar
na mão que nos estende um pé de salsa,
na pechincha da beleza, quando passa
no poente da razão.
Apetece cometer uma loucura,
comprar um telescópio, decorar
o canto nono dos Lusíadas,
subir umas escadas do avesso,
pensar que nunca mais teremos frio.
José Miguel Silva, Ulisses já não mora aqui & etc.

sexta-feira, junho 18, 2021

O feitiço das mil folhas

 Eu vou colher

A erva frágil das mil folhas.
Mais radiosa será a minha face
E mais cálidos os meus lábios
Mais jovial a minha voz.
Minha voz será
Um raio de sol
E serão meus lábios
A polpa e o sumo
Dos morangos do bosque.

Eu serei
A ilha no meio do mar
E a colina na pradaria.
Serei a estrela
Ao morrer da lua
E serei bordão dos alquebrados.
Eu estarei acima
De todos os homens
E nenhum haverá
Mais alto que eu.

Poema gaélico escocês, talvez da tradição popular (Poemário Assírio e Alvim 2005)

quarta-feira, junho 09, 2021