domingo, maio 21, 2006

Rifão Quotidiano

Uma nêspera estava na cama deitada muito calada a ver o que acontecia chegou a Velha e disse olha uma nêspera e zás comeu-a é o que acontece às nêsperas que ficam deitadas caladas a esperar o que acontece Mário Henrique Leiria
E com esta, digo "olá!" e me despeço, porque algum trabalho urgente me espera... isto é o que acontece a quem faz gazeta quando não deve!

7 comentários:

  1. é verdade... não se pode ficar à espera, tem de ser ir à luta

    ResponderEliminar
  2. Bom trabalho para ti e FICA BEM!

    Ah! Gostei muito do teu testemunho no meu blog.
    Bjo

    ResponderEliminar
  3. lol!o mário henrique é um surrealista fantástico da nossaa terra.já me devia ter lembrado desse poema para o meu blog, mesmo que nêspera não seja carne de animal.Espero que tenhas gozado bem a tua gazeta!Não há nada como ir contra o "rifão quotidiano"...:))boa semana!

    ResponderEliminar
  4. Pois é, não te deites como a nêspera...
    Não estás sozinha, também ando num aperto dos diabos e para vir aqui vou-me deitar mais tarde...
    Beijos querida amiga.

    ResponderEliminar
  5. Araj, era assim que sempre devia ser, mas, por vezes, não resistimos a ficar deitados como a nêspera a ver a vida passar...

    'Tá difícil, obrigada. Boa semana e bom trabalho também.

    Wicca, obrigada. Boa semana e fica bem. Embora ainda não tenha comentado, já dei uma espreitadela às últimas "reportagens" das festas do Senhor Santo Cristo.

    Couvinha Portuguesa, conheço o autor há alguns anos, contudo não costume lê-lo com frequência. Sim, por vezes, sabe bem - e faz bem - fazer gazeta! O pior agora é mesmo o trabalho...

    Nilson, espero que o teu trabalho corra bem para que possamos "ver-te" mais vezes.

    Boa noite e beijinhos para todos.

    ResponderEliminar
  6. tá gira esta da nespera, até parece daquelas histórias q as avós nos contavam....

    ResponderEliminar