quarta-feira, fevereiro 15, 2017

Oh, quanta falta, por vezes, nos fazem os brinquedos!

[...]
Oh, quanta falta, por vezes, nos fazem os brinquedos!
Mas nem sequer podemos estar tristes
Por essa razão,
E chorar com toda a alma,
Agarrando a perna da cadeira
Porque somos tão adultos
Que não há ninguém mais velho que nós
Para nos acariciar.

Marin Sorescu (poeta, dramaturgo e romancista romeno), Simetria

2 comentários:

luisa disse...

É facto. Não há birrinha que nos valha. :)

deep disse...

Também já ninguém sopra as nossas feridas para pararem de doer, luisa. :)