quinta-feira, junho 02, 2016

Do baú

Acabei de encontrar nas memórias do Facebook este "devaneio", que data de 2012.

Amar-te
não é a minha escolha
antes a minha sina,
muitas vezes noite,
raramente luz...
Amar-te
é, em manhãs claras,
bênção,
quase sempre, maldição.
Amar-te é lâmina,
golpe de espada,
por vezes, brisa ou orvalho,
quase sempre perdição...


2 comentários:

  1. Gostei deste devaneio, embora reflicta dor e tristeza:)

    Beijinhos:)

    ResponderEliminar
  2. O amor tem destas coisas! :)

    Beijinhos, Isabel.

    ResponderEliminar