quarta-feira, dezembro 09, 2015

Procuro-te

Procuro-te
Nos rascunhos das manhãs
Nos fios caídos  das tardes
Nas lajes frias das noites

Procuro-te
Em todos os rebordos das horas
Vivas
Suspensas
Derramadas na tristeza do silêncio

Procuro-te
Entre os papéis amarrotados
Nas folhas por escrever
Na tela de beijos
Na imensidão do teu mar

Encontra-me
No grito das minhas mãos
No arrepio da pele
Na imensidão do meu mar



Um bonito poema nascido na "praia" da Isabel Pires.

9 comentários:

Laura Ferreira disse...

belísimo...

Mar Arável disse...

Sempre à pergunta

Bj

Isabel Pires disse...

Obrigada, miúda!

Isabel disse...

É um bonito poema:)

Beijinhos:)

deep disse...

De nada, Isabel! :)

Obrigada, a todos pelos comentários. É,sim, um bonito poema.:)

Luis disse...

Encontras-te?

deep disse...

Ainda não, Luís, mas não perco a esperança.

© Piedade Araújo Sol disse...

o poema da Isabel é muito ao meu gosto

mesmo a minha praia

como gostei!

bom final de semana.

beijos

:)

deep disse...

Fico contente que tenhas gostado, Piedade. :)

Bom fim-de-semana. Beijos