quarta-feira, novembro 12, 2014

Em tempo de castanhas


Lembro-me que era tempo de castanhas e que frequentávamos a então chamada Escola Primária. Na manhã de um dia que nasceu pouco simpático, saímos para o campo, a pé, com as professoras. Depois de termos feito o magusto, comido as castanhas e de termos “enforretado” (tisnado) as caras, como mandava a tradição, preparámo-nos para fazer o caminho de regresso à vila. Escassos minutos depois, fomos surpreendidos por uma chuva impiedosa, que nos obrigou a abrigarmo-nos numa curriça. Não estou certa do desfecho, mas tenho a vaga ideia de que alguém nos foi buscar de camioneta, algo que já teria sido combinado, visto que, naquele tempo, os telemóveis estavam longe de existir.

5 comentários:

Helena disse...

:)
Memórias semelhantes, numa escola da Beira Alta. Mas sem chuva.
Ao entrar em casa, a minha irmã, mais nova que eu 5 anos, fechou-me, com um grito de susto, a porta na cara (enforretada) e foi a correr chamar a mãe.
Todos os anos me lembro disto.

pcristinasantos disse...

Bem me lembro desses magustos, eram idênticos os meus. Gosto muito da fotografia, beijinhos Luísa

deep disse...

Entre Trás-os-Montes e a Beira Alta, há, certamente, muitas semelhanças, Helena. Boas memórias estas. :)

deep disse...

Imagino que sim, Paulinha. Afinal, vivíamos tão perto! Obrigada.
Beijinhos

Isabel disse...

No meu tempo creio que não se faziam esses magustos na escola. Pelo menos não me lembro de nenhum, mas lembro-me de os fazer com os amigos da vizinhança.

Fazemo-los agora na minha escola, com os alunos. A mesma escola onde eu andei.

Bom fim-de-semana :)