segunda-feira, julho 14, 2014

Ainda não sei


(Imagem do filme "Antes do amanhecer")

Ainda não sei dar um nome àquilo que me prende a ti. Poderia tentar dar-lhe vários nomes, mas todos, certamente, me pareceriam imperfeitos, insuficientes... patéticos, até. Há realidades e sentimentos que nascem antes de os nomearmos. Alguns não chegamos sequer a nomeá-los, porque não se assemelham a nada que conheçamos ou que tenhamos experimentado.
Pergunto-me se aquilo que sinto - tenha o nome que tiver - é verdadeiro. Claro que sim. Na medida em que existe, é verdadeiro. 
Se coincide com o que tu possas sentir? Não faço ideia. Dificilmente. Há tantas variantes a determinar o que um e outro possa sentir. Há tantas diferenças nas nossas semelhanças!
Não te sonho, pois sonhar-te significa pensar-te no futuro. (O futuro pode ser, para aqueles que gostam de liberdade, um lugar que sufoca, que aprisiona. Não quero, de forma alguma, que te sintas preso.) Prefiro pensar-te no presente. Conforta-me saber que existes. Saber que posso ver-te ou ouvir-te.
Se vai valer a pena? Já vale a pena. Há-de sempre ter valido a pena. A tua existência a oxigenar os meus dias há-de, certamente, ter valido a pena.

8 comentários:

Mar Arável disse...

Uma ternura

deep disse...

:)Obrigada.

CCF disse...


Assim, mesmo sem nome, é bom!
Beijinhos
~CC~

deep disse...

Pois é, CC. ;)

Beijinho

Isabel disse...

Bonito!

Não conheço o filme...

Bom dia :)

deep disse...

Obrigada, Isabel. :)
O filme é o segundo de uma trilogia, protagonizada pela mesma dupla de actores. Vi os três, mas o segundo é, sem dúvida, o meu preferido, talvez por ter como cenário Paris.

Bom resto de semana.

Dulce disse...

Que bom, Deep! Fico feliz. Mesmo.

deep disse...

Obrigada, Dulce. :) Beijinho