sexta-feira, agosto 30, 2013

Dizer-te que a noite

Só mais um devaneio... nada mais!



Dizer-te que a noite 
é um monstro que nos devora
não apaga a tua sede de estrelas.

Ainda que saibas que o rio
sempre se perderá na imensidão
do mar
não deixarás de percorrer
as suas margens.

Ainda que eu saiba que corres, 
como o rio,
em direcção ao mar,
não deixarei de te amar.

Não deixarei de perseguir
o teu olhar de água,
os teus dedos delicados,
como são delicados os caules
das flores que colhias para mim.

Não deixarei de seguir o curso
da tua voz, poderosa como o leito
do rio que persegues.

Deep/ há minutos

8 comentários:

CCF disse...

São cada vez mais bonitos!
~CC~

deep disse...

Obrigada, CC! ;)

Mar Arável disse...

... e já é tanto...

josé luís disse...

gostei muito
(como de uma carta de marear)
;)

deep disse...

Obrigada, Mar Arável e josé luís! :)

© Piedade Araújo Sol disse...

a suavidade de um amor...

muito belo!

:)

Luciana Leal disse...

Oi, li alguns posts do seu blog e achei muito interessante,com certeza você tem potencial, vi que você é uma pessoa esforçada que só quer falar e ser ouvida na blogosfera, assim como eu. Posso dizer que gostei muito do que li, sei que será um grande blog pois é de fácil entendimento e o conteúdo é gostoso de ler. Sou Luciana Shirley do blog http://coisasecoisasdalu.blogspot.com.br/ se desejar me visite e siga, mas só se gostar, eu vou retribuir seguindo também o seu.

deep disse...

Obrigada, Piedade. ;)

Luciana, obrigada pelas palavras e pela visita.
Passo, sim, no seu espaço. :)