segunda-feira, fevereiro 21, 2011

No Dia Internacional da Língua Materna,



as palavras de Vergílio Ferreira: ‎


"Da minha língua vê-se o mar. Na minha língua ouve-se o seu rumor, como da de outros se ouvirá o da floresta ou o silêncio do deserto. Por isso a voz do mar foi a da nossa inquietação."

2 comentários:

R. disse...

Junto-me a esta homenagem e partilho da metáfora. Acrescentaria a qualidade da imensidão, comum a ambos.

Um abraço e uma ótima (por falar em Língua, note-se a ausência do 'p'...) semana!

;)

Ana disse...

Não sei porquê, só porque sim, hoje apeteceu-me Vergílio :)
que o dia te sorria