quinta-feira, novembro 13, 2008

quand on n'a que l'amour

Há dias, desci ao "Inferno", não ao de Dante, mas ao da Olga Roriz. Das inúmeras músicas reproduzidas ou interpretadas pelos dançarinos-actores-cantores em palco, contava-se uma de Brel que não tenho a certeza de ser a que se segue. Seja ou não, fica Brel, que vale sempre a pena!

1 comentário:

vaandando disse...

Com uma enorme força interpretativa, um prazer Ouvi-lo aqui , inesperadamente!
cordialmente______________----
JRMARTO