sexta-feira, julho 07, 2006

um homem tem que viver...

Um homem tem que viver. E tu vê lá não te fiques - um homem tem que viver com um pé na Primavera. Tem que viver cheio de luz. Saber um dia com uma saudade burra dizer adeus a tudo isto. Um homem ( um barco) até ao fim da noite cantará coisas, irá nadando por dentro da sua alegria. Cheio de luz - como um sol. Beberá na boca da amada. Fará um filho. Versos. Será assaltado pelo mundo. Caminhará no meio dos desastres, no meio dos mistérios e imprecisões. Engolirá fogo. Palavra, um homem tem que ser prodigioso. Porque é arriscado ser-se um homem. É tão difícil, é (com a precaridade de todos os nomes) o começo apenas. Fernando Assis Pacheco, Poeta no Supermercado (2)

5 comentários:

Nilson Barcelli disse...

O poema do Assis Pacheco é belíssimo (não conhecia).

Então, já respiras melhor? Ou continuas mergulhada em trabalho até aos ossos?

Beijinhos e bfs.

rute disse...

olá

não conhecia o poema mas gostei bastante.

Beijinhos

Meguinha disse...

Sim, sou mesmo eu! Voltei, desculpa a minha ausência prolongada e obrigada por não teres deixado o meu cantinho abandonado... Foi bom regressar e ler algo tão inspirador! Só podia ser Fernando Pessoa, o poeta dos poetas... Vou tentar ser um pouco mais assídua agora que me parece que o computador já não me dará tantos problemas... Muitos beijinhos!!!

TsiWari disse...

... apenas o começo!

;)***

raiz disse...

Um homem tem de ser homem e é arriscado ser-se ou pretender ser-se prodigioso!
Um poema muito interessante Obrigado