quinta-feira, maio 25, 2006

Que atitude devemos tomar...

O Pensador de Rodin
...quando surpreendemos duas crianças de 12/13 anos a folhear, entusiasmadas, um catálogo de armas?

8 comentários:

Kiki Abdul disse...

Gostei “Letras são papeis”!!
Orienta-las, adverti-las é o primeiro passo?!?

Carriço disse...

Sei que na educação tudo deve ser menos poético, mas que tal explicar-lhes que as armas e as guerras são tão menos interessantes que o beijo - aproveitando Rodin - e o amor?

Saudações

Araj disse...

Boa questão...
Difícil é a resposta...

Nilson Barcelli disse...

Na casa dos meus pais sempre existiram armas. De caça, porque o mau pai era caçador...
Quando eu tinha 10 ou 11 anos ele explicou-me tudo. Como se carregavam os cartuchos, como é que se metiam nas espingardas e como é que se disparava.
Até essa altura eu tinha uma curiosidade enorme e várias vezes apeteceu-me experimentar sozinho. A partir da explicação nunca mais olhei para as armas e nunca disparei um tiro, apesar das insistências do meu pai, que tentou várias vezes arrastar-me para a caça.
Ou seja, aquilo que é mais perigoso numa criança é a curiosidade. Se essa curiosidade for satisfeita, acho que não haverá problemas. Há que explicar tudo, por isso.
Beijinhos.

anatema disse...

Pues debemos quitarles de la cabeza esa afición y decirles lo que pasa en los Estados Unidos.

Tener un arma en casa es "un arma de dos fuegos"

Noooooooooooo. Decididamente, NO.

Hipatia disse...

Esperar que tenha educadores/formadores capazes de lhes dar as bases suficientes para crescerem e ganharem juizo?

deep disse...

Obrigada a todos pelos conselhos. São sempre preciosos.
Para todos, bom fim-de-semana.

Kiki, sê benvinda ao "letras são papéis".

alyia disse...

1º que tudo: não entrar em parafuso!