sábado, janeiro 20, 2018

Crepúsculo


Igual-desigual


Eu desconfiava:
todas as histórias em quadrinho são iguais.
Todos os filmes norte-americanos são iguais.
Todos os filmes de todos os países são iguais.
Todos os best-sellers são iguais.
Todos os campeonatos nacionais e internacionais de futebol são
iguais.
Todos os partidos políticos
são iguais.
Todas as mulheres que andam na moda
são iguais.
Todas as experiências de sexo
são iguais.
Todos os sonetos, gazéis, virelais, sextinas e rondós são iguais
e todos, todos
os poemas em versos livres são enfadonhamente iguais.
Todas as guerras do mundo são iguais.
Todas as fomes são iguais.
Todos os amores, iguais iguais iguais.
Iguais todos os rompimentos.
A morte é igualíssima.
Todas as criações da natureza são iguais.
Todas as ações, cruéis, piedosas ou indiferentes, são iguais.
Contudo, o homem não é igual a nenhum outro homem, bicho ou
coisa.
Não é igual a nada.
Todo ser humano é um estranho
ímpar.

Carlos Drummond de Andrade

domingo, janeiro 14, 2018

A origem do mundo


De manhã, apanho as ervas do quintal. A terra,
ainda fresca, sai com as raízes; e mistura-se com
a névoa da madrugada. O mundo, então, 
fica ao contrário: o céu, que não vejo, está
por baixo da terra; e as raízes sobem
numa direcção invisível. De dentro
de casa, porém, um cheiro a café chama
por mim: como se alguém me dissesse
que é preciso acordar, uma segunda vez,
para que as raízes cresçam por dentro da
terra e a névoa, dissipando-se, deixe ver o azul.
Nuno Júdice, Meditação sobre ruínas

quarta-feira, janeiro 10, 2018

Instantes



Belas palavras do amigo Zé Marto

terça-feira, janeiro 09, 2018

Como no?


Num restaurante em Barcelona

sábado, janeiro 06, 2018

Perderam-se nos saldos


Um "boneco" surripiado à mana

sexta-feira, janeiro 05, 2018

Leituras - Balanço do ano

A ideia não é nova e não é minha... deixo algumas sugestões de livros que li ou reli em 2017:

Histórias de Ver e Andar - Teolinda Gersão
A Gorda - Isabela Figueiredo
Perguntem a Sarah Gross - João Pinto Coelho
Coração Mais que Perfeito - Sérgio Godinho
A Gaveta do Fundo - A. M. Pires Cabral (releitura)
Crónica do Rei Pasmado - Gonzalo Torrente Ballester (releitura)
O Fantasma de Canterville - Oscar Wilde (releitura)
Os da Minha Rua - Ondjaki
Morder-te o Coração - Patrícia Reis
O Coração é um Caçador Solitário - Carson McCullers
A Herança de Eztér - Sandór Marai
Desnorte - Inês Pedrosa
Carta a uma Amiga - Inês Pedrosa
O Gerânio e Outros Contos - Flannery O'Connor
Um Sorriso Inesperado - José Riço Direitinho
O Livreiro de Paris - Nina George
É Assim que a Perdes - Junot Díaz
Marranos em Trás-os-Montes - Judeus Novos da Diáspora - António Júlio Andrade e Maria Fernanda Guimarães
Marcas Arquitectónicas Judaicas e Vítimas da Inquisição no Concelho de Mogadouro - Antero Neto
Caderno de Memórias Coloniais - Isabela Figueiredo
A Mulher que Prendeu a Chuva - Teolinda Gersão
La Memoria Secreta de las Hojas - Hope Jahren (por terminar)
O Meu Nome é Vermelho - Orhan Pamuk (por terminar)

Pelo meio, excertos de diários, alguns contos, alguma poesia,...