domingo, dezembro 17, 2017

O crítico literário vai de férias à província


Da varanda do quarto
viam-se
em vez das aliterações
o vale

e os pinheiros bravos
a subir
o monte. Acordava-se assim
a ver as coisas

concretas. Como se
afinal
além da literatura houvesse

mundo: casas;
pessoas; pássaros que
voavam mesmo

José Carlos Barros

3 comentários:

Miguel Bondurant disse...

Muito simples, saboroso, muito verdade.
;)

Graça Pires disse...

Magnífico poema de José Carlos Barros. O poeta sabe melhor que ninguém que só faz poesia porque as coisas concretas existem...
Um Natal feliz e um novo Ano cheio de motivos de esperança, e muito amor e muita saúde.
Um beijo.

deep disse...

Simples e bonito, Miguel.:)

Um poeta pouco divulgado, Graça.
Obrigada pelos votos. Um Natal com saúde, serenidade e amor para si e para os seus.
Um beijo