sábado, junho 03, 2017

Anónima e silenciosa


Pintura de Graça Morais

Os vários filhos e netos saíram da igreja, na frente do cortejo, amparados pelos  respectivos companheiros. Cada um entregue à sua dor. No meio da multidão (ele era um senhor conhecido e respeitado), atónita e curvada, seguia a companheira de muitos anos (mais de meio século), guiada pela mão diligente do funcionário da funerária, que a segurava pelo cotovelo esquerdo. Seguia, como sempre fez, anónima, silenciosa e discreta até na dor.

5 comentários:

CCF disse...

Passe pela Rua da Índia, tem lá uma coisa para si.
~CC~

© Piedade Araújo Sol disse...

um texto muito bem escrito, e que gostei de ler (muito)
até na dor soube ser discreta e isso é um dom que nem todos possuem.
bom fim de semana.
beijinhos
:)

© Piedade Araújo Sol disse...

Em Tempo
a pintura de Graça Morais foi muito bem escolhida para o texto
beijinhos
:)

nêspera disse...

Texto belíssimo de um sentir profundo.

Beijo, deep :)

deep disse...

Obrigada pelas palavras simpáticas sobre a minha pessoa na sua casa e pela distinção! Um abraço. :)

Piedade, obrigada. :) Beijinhos

nêspera, obrigada. :) Beijo

Boa semana para todas.