domingo, abril 23, 2017

Dia Mundial do Livro


(Imagem da net)

O Dia Mundial do Livro foi instituído pela UNESCO em 1996 para incentivar a leitura e o prazer de ler.
São muitos os livros que integram a lista de favoritos e que me marcaram. Destes, destaco, aleatoriamente:
The Catcher in the Rye, de J. D. Salinger, talvez por tê-lo lido na transição dos 17 para os 18 anos e por me ter identificado com Holden, o protagonista; 
- A Sibila da Agustina, que li na mesma altura; 
- Um Deus Passeando pela Brisa da Tarde, do Mário de Carvalho; 
- Aparição, de Vergílio Ferreira; 
- Memorial do Convento, do Saramago; 
- O Fio da Navalha, de Somerset Maugham; 
- Teoria Geral do Esquecimento, de José Eduardo Agualusa;
- A Porta, de Magda Szábo;
- La Familia de Pascual Duarte, de Camilo Jose Cela;
- Loucura, de Mário de Sá-Carneiro;
- Baudolino, de Umberto Eco;
- Relato de um Náufrago, de Gabriel Garcia Marquez.

Ficam tantos, tantos por nomear...

A propósito, que livros vos marcaram?

5 comentários:

conta corrente disse...

Olá :)

Assim muito a seco:
O Ano da Morte de Ricardo Reis, de José Saramago;
Livro do Desassossego, de Fernando Pessoa

Claro que há mais, muitos mais, mas assim em resposta pronta estes dois.

Jaime Portela disse...

Por incrível que pareça, um dos livros que mais me marcou foram os Lusíadas. Não pela História (que também é interessante), mas principalmente pela construção dos versos.
Boa semana, amiga Deep.
Beijo.

Graça Pires disse...

Tantos que não cabiam aqui. Alguns são comuns ao que foram mencionados. Mas destaco "Para Sempre" de Vergílio Ferreira; "Memórias de Adriano" de Marguerite Yourcenar; "Lavoura Arcaica" de Raduan Nassar e a Poesia da Sophia, do Eugénio de Andrade, do Herberto Helder, e de tantos...tantos...
Uma boa semana.
beijos.

deep disse...

Do Saramago, conta corrente, destaco 'Memorial do Convento', 'Que farei com este livro?' e 'Ensaio sobre a cegueira'.

Jaime, também gosto de 'Os Lusíadas', curiosamente.:)

Graça, quando pensamos em livros, raramente nos ocorrem os de poesia, não é?
Por falar em livros de poesia, gosto muito do seu 'Caderno de Significados'.

Boa semana para todos. Beijos

Lídia Borges disse...


Depois de ler a "lista" da Graça Pires, descobri a razão porque me como me identifico tanto com ela. :)

Acrescentaria "Alegria Breve", (Vergílio Ferreira), "Se isto é um homem", (Primo Levi), "As ondas" (Virgínia wolf)...

Um beijo

Lídia