sábado, setembro 24, 2016

Do baú

... para assinalar a despedida do Verão.


(Imagem de Duy Huynh)


Despede-se o Verão
com os seus dias de ócio e de calor.

Despede-se da cepa que lhe deu vida
e acolheu o cacho farto de uva.

Despedem-se de ti o meu olhar,
as minhas mãos, todo o meu corpo
e, com pontual solidariedade, a alma.

Recolho as mãos, dispensadas do ofício
da ternura.
Cubro, de novo, o coração
para os dias frios que o esperam.

Instituo, por decreto íntimo,
Setembro como o mês das despedidas.

deep, 23 de Setembro de 2015

4 comentários:

Lídia Borges disse...


Belíssimo!

destaco esta estrofe que me tocou de modo particular:

"Recolho as mãos, dispensadas do ofício
da ternura.
Cubro, de novo, o coração
para os dias frios que o esperam."

Beijo

deep disse...

Muito obrigada, Lídia. :)

Beijo

Anónimo disse...

E repete-se, com novos sabores!!! Gosto! :)

Beijinhos. Paula

deep disse...

Obrigada, Paula, pelas palavras e pela visita! :)

Gosto muito de continuar a ver-te por cá! Beijinhos