domingo, janeiro 19, 2014

Não canto porque sonho

Do Eugénio de Andrade, que nasceu há 91 anos.

Não canto porque sonho. 
Canto porque és real. 
Canto o teu olhar maduro, 
o teu sorriso puro, a tua graça animal. 

Canto porque sou homem. 
Se não cantasse seria somente 
um bicho sadio embriagado 
na alegria da tua vinha sem vinho. 

Canto porque o amor apetece. 
Porque o feno amadurece 
nos teus braços deslumbrados. 
Porque o meu corpo estremece 
por vê-los nus e suados. 

Eugénio de Andrade, As mãos e os frutos

9 comentários:

DIOGO_MAR disse...

Haja alma, para cantar, à vida, ao amor, a ti, a mim, as flores, aos risos, às lágrimas à morte.
Mas canta!

ABRAÇAÇO

http://diogo-mar.blogspot.com/

Lídia Borges disse...


Maravilhoso!...

A sua relação com a palavra é como a da flauta com a música.

Um beijo

Joaninha Musical disse...

Uma musica super perfeita!! Gostei bastante!! Desejo uma boa e excelente semana para ti,muitos beijinhos,fica com deus e até breve!! http://musiquinhasdajoaninha.blogspot.pt

Mar Arável disse...

O nosso Eugénio

sempre

Pérola disse...

Que cheiro a primavera por aqui passou.

Beijo

© Piedade Araújo Sol disse...

Eugénio de Andrade, um poeta "nosso".

Que belo poema.

:)

Armando Sena disse...

Do sentimento se faz o alento.
Do desejo a eternidade.
Um excelente momento.

Nilson Barcelli disse...

Esta canção é linda.
Um trio de respeito, de resto, na letra, na música e nas vozes.
Minha amiga, tem uma boa semana.
Beijo.

deep disse...

Obrigada a todos pelos comentários e pela companhia. :) Boa semana.
Beijos