segunda-feira, junho 24, 2013

Nem cavaleiros, nem cavalheiros

Hoje, à hora de almoço, quando saía do meu local de trabalho na companhia de uma colega e amiga, alcançou-nos um colega, que meteu essencialmente conversa com a pessoa que me acompanhava, a quem disse, ignorando de todo a minha presença, que seria um prazer almoçar com ela. 
Sei bem que a pessoa que me acompanhava marca, junto do homens, muitos mais pontos do que eu: é mais jovem, mais elegante e, por norma, mais sorridente. Apesar disso e do facto de o colega não despertar em mim mais do que alguma simpatia, não deixei de ficar sentida com a falta de elegância e de consideração. 
Definitivamente, também o cavalheirismo está em crise.

3 comentários:

© Piedade Araújo Sol disse...

nem mais!

até impressiona.

beijinho

:)

CCF disse...

Imagino...também não gostaria, escolher a ocasião é coisa importante, espero que a sua colega lhe tenha dado para trás :)
Beijinho
~CC~

Isabel disse...

As pessoas hoje em dia não têm maneiras nem educação.
Aqui no meu prédio estão hospedadas umas jovens estudantes. Há dias eu trazia a chave e abri a porta e deixei-a passar primeiro. Pois passou, nem obrigada disse, como se eu não tivesse feito nada mais que a minha obrigação! Isto de segurarmos a porta e as pessoas passarem sem agradecer, é o prato do dia. Mas há pior!
Fica para outra altura, não me alongo. E tanto acontece com novos como com adultos.
Há muita falta de maneiras e educação. Ser educado, não é ser antiquado.
Enfim...

Bom fim-de-semana!