sexta-feira, abril 26, 2013

Há um esquisso de intimidade


Há um esquisso de intimidade
nesse aroma de café
que inaugura a manhã e que,
a conta-gotas,
se imiscui no cheiro
permanente dos livros.

Há um secreto aconchego
nessa luz de sol morno
que entra pela janela,
nesse silêncio cortado, a espaços,
pelas vozes abafadas dos vizinhos.

Sobram ecos da infância
no tilintar da loiça
dos almoços dos outros,
no aroma familiar
do assado de domingo,
nas conversas cruzadas
que adivinho…

E tudo, de uma vez só,
me assalta:
o torpor das tardes de estio,
o cheiro dos limos
e das malápias,
as brincadeiras depois da escola,
os rostos amigos…

E tudo, como cenas
de um filme mudo,
agarro, como, num ápice,
tudo perco…

Deep/ 26 de Abril de 2013

4 comentários:

Mar Arável disse...

Uma bela viagem
intemporal

deep disse...

Obrigada. :)

Armando Sena disse...

Um texto belíssimo.
Adorei a referência às Malápias que para mim significavam toda a fruta verde. Requícios de termos locais.
Cpts

deep disse...

Obrigada, Armando Sena, pela presença e pelas palavras.

Cumprimentos. :)