segunda-feira, maio 28, 2012

Os poetas, ai os poetas...

«Sabe», disse-me, «gostava de saber alguns poemas de cor.» 
«Porquê?», perguntei.
«Acho que é elegante um homem ter sempre um poema à mão para dizer quando é preciso.»
«Onde foste buscar essa ideia?»
«Numa série que costumo ver, há um daqueles criminosos de colarinho branco e sempre bem vestido, que costuma dizer uns poemas. Assim parece ainda mais elegante.»
Não recordo como terminou o breve diálogo com um adolescente de catorze anos, mas lembro-me de ter pensado como podem ser "perigosos" os poetas, quer aqueles que verdadeiramente o são, quer os outros que, não fazendo poesia, se servem do poder das palavras, as suas ou as alheias, como "arma" de sedução, ainda que muitas vezes não tenham verdadeiramente consciência de que estão a fazê-lo. Acabei por perguntar-me se eu própria, amante de palavras, "escrevinhadora" de versos, estarei incluída nesse grupo de poetas ou se tal só se aplica ao sexo masculino. Não creio...

2 comentários:

Anónimo disse...

A palavra é realmente uma arma poderosa e pode ser usada para fins muito diversos. Manipular os outros é um deles. Não é o caso da deep. Usa a palavra (e a imagem e a música)para homenagear a própria palavra!

deep disse...

Tento! Obrigada... pelas palavras e pela companhia. :)