sexta-feira, fevereiro 10, 2012

Entraste na casa do meu corpo



Entraste na casa do meu corpo,
desarrumaste as salas todas
e já não sei quem sou, onde estou.
O amor sabe. O amor é um pássaro cego
que nunca se perde no seu voo.


Casimiro de Brito

3 comentários:

Alice disse...

Lembrou-me Guimarães Rosa quando disse assim: O amor, pássaro que põe ovos de ferro.

Beijos

Virgínia do Carmo disse...

Sou admiradora da poesia de Casimiro de Brito. Percebe-se porquê. Beijinhos Luísa :)

deep disse...

Alice, é igualmente bonita essa metáfora. Obrigada pela visita. :)

Virgínia, também me cai bem. ;)

Beijinhos