sábado, fevereiro 12, 2011

Pouso os olhos no teu nome (poesia)

Pouso os olhos
- Sedentos - 
No teu nome
E contemplo-lhe 
As linhas
Costuradas
A negro
De asas presas
Nos remoinhos
Do teu começo


Divido-me,
- Gasta - 
Pelos arcos
Grávidos
De saudade


Passeio-me
-Embriagada - 
Pelas colinas 
Íngremes
Do teu mar


E por fim
Caio, do topo
Do teu acento
No abismo da vida


Virgínia do Carmo, Sou e Sinto

3 comentários:

Nilson Barcelli disse...

Que bem que a Virgínia escreve.
Beijos.

deep disse...

Sem dúvida! :)

Beijos

pedro e maria disse...
Este comentário foi removido pelo autor.