terça-feira, junho 17, 2008

Estranhos seres...

Estranhos seres estes humanos capazes dos gestos mais mesquinhos por galardões tão vis. Estranhos seres estes humanos a quem não repugna passar a perna aos seus semelhantes com a mesma impassividade e a mesma "cara-de-pau" com que dizem "bom dia". Estranhos seres estes humanos capazes dos sentimentos e dos gestos mais pequenos , quando não têm sobre aqueles que os rodeiam a ascendência que os faz sentir poderosos. Estranhos seres estes humanos que espezinham para se sentirem grandes, que ocultam insegurança e cobardia sob a capa da arrogância e do destrato. Estranhos seres estes humanos que desprezam a estupidez, mas desprezam mais ainda quem pela inteligência ameace excedê-los. Estranhos seres estes humanos peritos em jogos de bastidores com que compensam a falta de mérito. Estranhos seres estes humanos que se dizem adultos, mas que se revelam cada vez mais infantis e caprichosos. Estranhos seres estes humanos incapazes de gestos largos de generosidade sem proveito, de vestir o olhar de franqueza. Estranhos humanos estes... cada vez mais humanos!

I'm only human Of flesh and blood I'm made Human Born to make mistakes

10 comentários:

Anónimo disse...

Pululam como cogumelos, já são os efeitos das coisas ou o brinde no papel social, o disfarce das golfadas injectáveis reprimidas...
Valeu a sua música!
cordialmente

Anónimo disse...

Valeu e valeu !
e esqueci-me de assinar !
José Ribeiro Marto
Relembro uns postes de anatema fortíssimos sobre estes »humanos», para ela o meu abraço, se por aqui passar

Ana disse...

Anseio tanto um cão, um gato,até mesmo um rato, sei lá um animal qualquer menos um animal humano!
um beijinho fica bem

JvT disse...

Tanta emoção em tão poucas linhas...

Acreditemos que há outros um pouco menos estranhos!

Abraço
João

wandolas disse...

Há poucas horas atrás em mais uma sessão de formação, fugiu-se ao tema em estudo para se falar destes estranhos humanos que cada vez mais se atravessam nas nossas vidas.
Plenamente de acordo com a Ana.
Sinto saudades dos fiéis amigos que tantas vezes ouviram os meus desabafos enquanto por aqui estiveram...

deep disse...

É verdade, José Marto, como cogumelos... deve ser de tanta humidade! Hehehe

Ana e Wandolas, sabendo o vosso "amor" por animais, compreendo-vos perfeitamente. Vou ponderar a hipótese de adoptar um peixe!! :)

JVT, sim, felizmente ainda hápessoas que valem a pena, que não são tão estranhas assim. :)

Uma boa noite - pouco estranha - para todos!

deep disse...

Só mais uma coisa: alguém é servido de um quadrado de chocolate negro com casca de laranja? Não façam essa cara! É muito bom, garanto-vos!

Infame da Vileza disse...

Ao ler o teu desabafo sinto-me estranha. Porquê? Não tento "passar a perna", não espezinho, não desprezo a inteligência,..mas sinto-me incapaz de gestos largos de generosidade sem proveito.
Boa noite e obrigada pelas reflexões que provocas.

deep disse...

Infame, também eu me sinto assim "estranha" muitas vezes. Em maior ou menor grau, por vezes cedo a sentimentos mesquinhos que me fazem, quando me avalio, sentir pequena e igual a muita gente que condeno. Dizer que sou humana não me redime...
Claro que és capaz de gestos de generosidade!

Não tens que agradecer. O que escrevo é, antes de mais, um exercício de reflexão.
Até amanhã. :)

Anónimo disse...

Bolas, bolas, bolas...! Infame já disse, o melhor mm é ficar calada...

Bjis

rubia