quarta-feira, maio 28, 2008

azul

Hoje recebi, por email, esta imagem captada pela minha prima brasileira a viver em Amesterdão.

Fica bem no azul do Letras...

Obrigada, Beth!

7 comentários:

Nilson Barcelli disse...

A matar...

Beijinhos

Anónimo disse...

Lindíssimo! Amanhã deixarei aqui um poema para a Beth ! prometo!
Não deixo já, porque não sei onde toquei , e apareceu-me um grande arquivo de gente desconhecida ! Que coisa , a minha ignorância!
cordilmente
JRMarto

Infame da Vileza disse...

Esta foto é um excelente exemplo de que é possível viver em harmonia dentro do ecossistema!
Tira-me a respiração.
Bjs

wandolas disse...

A foto é perfeita e sem dúvida que encaixa na perfeição no letras.
Mas, convenhamos que o azul fica sempre bem!...

M&M disse...

que lindo.

CristinaGS disse...

Tão fresco, este azul anilado.

Anónimo disse...

Para A BETH
Luz
Um holofote de mil trezentos watts
Roubava a toda a sala qualquer sombra./
Cada móveltinha um nítido perfil
E um mar de luz erguia-se da alfombra. /

Cada móvel dir-se-ia posto ao calhas
Por mão gigante, e como barreira
Ofegava um monstro aparador.
Parecia incendiada a sala inteira.

Em chamas estava uma meda de trigo
fulgindo num quadro, e não se sabia
Se era cenário novo , se antigo .

Vivia ali alguém ? Não se diria .
Mesmo com tanta luz , nada se via. Tal que neste poema. Esperas digo .
in Contrabando, Gerrit Komrij, tradução do neerlandês de Fernando Venâncio
Será que a Beth, lê português ?


Cordialmente

Jrmarto