segunda-feira, fevereiro 19, 2007

loucura

(Bosch, A Nave dos Loucos)

Em resposta a uma pergunta do Araj:


"Mas afinal o que vem a ser a loucura? Um enigma... Por isso mesmo é que às pessoas enigmáticas, incompreensíveis, se dá o nome de loucos...

Que a loucura, no fundo, é como tantas outras, uma questão de maioria. A vida é uma convenção: isto é vermelho, aquilo é branco, unicamente porque se determinou chamar à cor disto vermelho e à cor daquilo branco. A maior parte dos homens adoptou um sistema determinado de convenções: é a gente de juízo...

Pelo contrário, um número reduzido de indivíduos vê os objectos com outros olhos, chama-lhes outros nomes, pensa de maneira diferente, encara a vida de modo diverso. Como estão em minoria, são doidos...

Enganaram-se vocês e os médicos com isso a que chamaram loucura. O vosso espírito é demasiadamente acanhado para compreender tudo quanto não seja o comum... o vulgar (...).”

Mário de Sá-Carneiro, Loucura

10 comentários:

Araj disse...

“Que a loucura, no fundo, é como tantas outras, uma questão de maioria.”
“O vosso espírito é demasiadamente acanhado para compreender tudo quanto não seja o comum... o vulgar”

Mário de Sá-Carneiro é um dos meus autores predilectos, ainda que, infelizmente, seja pouco divulgado… A “Dispersão” e “A Confissão de Lúcio” são dois marcos na minha vida, julgo que qualquer pessoa depois de ler estas obras não fica igual, começa a ver as coisas sub outro prisma…

gala disse...

o ke há + é espiritos acanhados...

o ke é certo é ke akele ke ousa desafiar o rebanho e o pastor, é o anormal. qd é perfeitamente normal ke pode ser o único são.

beijinhos

suspiros disse...

A normalidade ou loucura apenas existem em nós sob forma de preconceito que nos foi sendo incutido ao longo de décadas,mas cabe a cada um de nós ver essa realidade;)
E sim sou louca se entenderem que ser diferente é loucura:)
Gostei deste espaço;) deixo meu bj

gaivina disse...

Isto de estarmos vivos, já é uma grande Loucura....

Belzebu disse...

Uma das minhas obras favoritas aborda precisamente esta questão e apesar de ter séculos, mantém-se perfeitamente actual! Estou a falar do "Elogio da loucura" de Erasmo de Roterdão. Escrito em 1509, podia perfeitamente ter sido escrito no séc.XXI, tal é a lucidez do autor.

Saudações infernais!

ana maria disse...

Perfeitamente de acordo com todo o post... Tenho sentido tantas vezes o sabor agridoce do lado da loucura...

pinky disse...

todos somos um pouquinho loucos, basta sermos todos diferentes...
bjkas e bom fim de semana, have fun e om shanti para ti ;)

PR disse...

Gostei. Bosch, pois.
Bfsemana, abraço.

Rute disse...

"De criança e de louco todos temos um pouco!" - Acho que é assim que a minha avó costuma dizer!

Beijinhos

leituras disse...

Talvez ninguém possa apontar ninguém como louco. Não o seremos todos, ainda que uns um pouco mais do que outros? E mesmo isso de ser mais ou menos não será também uma questão de convenção?

Boa semana