quarta-feira, fevereiro 08, 2017

Amar perdidamente

Hoje fomos, de novo, conviver com os "menos jovens". Levámos amor em palavras e música. Falámos de cartas de amor ridículas, procurámos uma definição para o amor, quisemos amar perdidamente e demos um cravo e um lenço, e quase o coração, a um rapaz que passou. Em troca, recebemos relatos sobre o amor e o namoro noutros tempos.
Na assistência, havia um casal a caminho dos 100 anos - ele 95, ela 97. «Sabe, casámos em 1945, quando eu voltei da tropa.» - disse ele. «E fomos sempre felizes, com a graça de Deus,», acrescentou ela, orgulhosa. Apesar das diferenças físicas e culturais não pude deixar de me lembrar de uma foto vencedora do WorldPress Photo, que mostra o coreógrafo russo Igor Moiseyev (1906-2007) e a esposa no dia em que ele completou 101 anos.


Foto de Vladimir Vyaktin

4 comentários:

© Piedade Araújo Sol disse...

que belo isto.
emocionada fico quando leio estas cenas.
bem haja!
beijinho
:)

Laura Ferreira disse...

:) que bonito.

Manuel Veiga disse...

a Arte conforta!

beijo

deep disse...

De nada, Piedade. :) Beijinhos

Laura, :)

É certo, Manuel Veiga.
Beijo