quarta-feira, dezembro 21, 2016

Chega a ter gosto


Chega a ter gosto 
a chuva 
vista dos cafés 
caindo sobre as estátuas 
e a nostalgia 
chega a ser morna 
com fumo e álcool 
na garganta 
Até os homens 
passarem junto aos vidros 
Reais Molhados 
Sem emoções instruídas 
Pensando em remédios 
e prestações 
grisalhos 
sem serem velhos 
e falando sós 
sem serem loucos 

António Reis, Poemas Quotidianos

6 comentários:

Isabel Pires disse...

Que bem ilustraste este poema!

Isabel disse...

Gosto imenso da foto!
Também gostei do poema. É engraçado, que tenho um cunhado com esse nome!

Luísa, mandei-te um mail.

Um beijinho e um Feliz Natal:)

Rui Pires - Olhar d'Ouro disse...

Lindo!

🎄🎅FELIZ NATAL🎄🎅

ana disse...

feliz Natal, deepLuisa :)
beijinho!

deep disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
deep disse...

Obrigada a todos! Espero que o Natal tenha sido feliz.

Continuação de Festas Felizes. :)

Beijos