terça-feira, novembro 29, 2016

Exercício de escrita


Edward Hopper, "Automat" (1927)

O dia revelara-se soalheiro e ameno. Contudo, a noite chegara fria e quase sem aviso, por isso Cordélia, que passara a tarde de loja em loja, na busca ansiosa dos últimos presentes de Natal, decidiu refugiar-se no primeiro café que encontrou. O espaço, que estava àquela hora um pouco vazio, agradou-lhe.
Sentou-se, pediu um café e, enquanto bebia o líquido quente e amargo, em sorvos lentos, permaneceu quieta, absorta em pensamentos. O ambiente estava aquecido, mas o frio entrara de tal modo em si que, durante largos minutos, não conseguiu desfazer-se do sobretudo verde e do chapéu, nem mesmo da luva da mão esquerda. Apesar de estar já um pouco fora de moda, gosta deste seu casaco verde de fazenda, com gola e punhos de pêlo. Comprou-o, como o chapéu de abas que usava, numa viagem que fez com uma amiga a Paris, há alguns anos. Trazem-lhe, portanto, boas memórias.
Distraiu-se, entretanto, a observar o espaço em volta. Apreciou a larga mesa circular, com tampo branco a contrastar com o castanho muito escuro do remate e das cadeiras. Notou, depois, que havia, no parapeito da larga janela, onde se reflectiam as filas de luzes do tecto, uma taça de vidro e de pé alto, cheia de fruta. Pareceu-lhe ter sido apenas esquecida. Notou, também, que, à sua esquerda, um corrimão metálico levava ao piso inferior. «Talvez seja uma escada de acesso aos arrumos», pensou.

Ocorreu-lhe que poderia, como outras mulheres, forçar uma conversa com as pessoas da mesa ao lado, sob qualquer pretexto, mas, embora fosse afável, a timidez impedia-a de gestos ousados. Tinha amigos e família, é certo, mas, em casa, esperava-a apenas um gato, que, em tempos fora brincalhão e arisco, e que, com a idade, se tornara preguiçoso e bonacheirão.

9 comentários:

Isabel Pires disse...

deep, uma parte das boas notícias é a do casaco verde de fazenda voltar a estar na moda, assim como o bonito chapéu que descreves.
Continuação de boa semana!

CCF disse...

Bom texto para o quadro, muito bonitos um e outro juntos.
~CC~

Isabel Pires disse...

Ah, e gosto muito de Hopper!

Laura Ferreira disse...

também gosto de tudo.
as imagens são um belo desafio para a escrita. :)

deep disse...

Isabel, gosto de alguns verdes, mas não tenho nenhum casaco, só camisolas! Também gosto muito de Hopper. :)

Obrigada. Boa semana!

CC, obrigada! :)

Laura,obrigada. Por norma, as imagens dão-me inspiração para devaneios poéticos, desta vez, calhou a prosa. :)

luisa disse...

Gosto deste exercício.
Lembrei-me de um teste que fiz,no âmbito de uma cadeira de história da leitura, que incluía uma questão em que nos era apresentada uma pintura sobre a qual tínhamos que escrever na ótica da matéria aprendida até então. Na prática resultou algo assim, com a imagem a inspirar o texto.

deep disse...

Estes exercícios acabam sempre por ser proveitosos, Luísa. Entretêm e obrigam-nos a explorar ideias e vocabulário. Obrigada. :)

ana disse...

Espero pela continuação:)

deep disse...

Talvez consiga continuá-lo numa qualquer madrugada, ana. :)
Obrigada.