segunda-feira, novembro 14, 2016

Celestial

Quando tentei ser santo,
queria apenas ser um santo
sem compromisso
de fazer milagres.

Seria uma espécie de santo avulso,
desses que permanecem
desconhecidos no céu
e que só vêem Deus
de muito longe,
sem direito a carro oficial.

Álvaro Alves de Faria, Antologia da poesia contemporânea brasileira

5 comentários:

conta corrente disse...

Estou maravilhado.

(não conhecia, nem o poeta nem o blog)

Graça Pires disse...

Delicioso o poema de Álvaro Alves de Faria. Não conheço o autor. Obrigada pela partilha.
Uma boa semana.
Beijos.

deep disse...

Obrigada, conta corrente.:)

Obrigada, Graça.
Uma boa semana também para si. Beijos

CCF disse...

Maravilhoso..também eu seria uma santa assim, de preferência andando de bicicleta pelos campos celestiais:)
~CC~

deep disse...

Parece-me um bom "programa", CC. :)