segunda-feira, outubro 10, 2016

Experiências

com a (minha) voz aqui...

Oiço a tua voz - reconhecê-la-ia 
ainda que, subitamente, falasses 
outra língua... 

Oiço a tua voz, dizia, e, dentro de mim, 
um vulcão ameaça entrar em erupção 
para, de seguida, se desfazer num rio de lava. 

Oiço-a e, por instantes, sou pássaro 
em sinuoso voo, 
sou margem venturosa de um rio que, 
por descuido, extravasa o leito. 

Sonho-a e, nos meus sonhos, a tua voz, 
desconhecida, outra, 
perde-se dos meus dedos e da possibilidade 
de a recolher límpida e inocente no meu colo. 

 Março de 2011

6 comentários:

Eros disse...

Estas Palavras não possuem apenas uma Voz... mas também Braços que aconchegam.

Isabel Pires disse...

Obrigada por partilhares a tua experiência.
Muito bem, deep!
Beijo

Laura Ferreira disse...

que bela voz, esta...

deep disse...

Obrigada, Eros, Isabel e Laura pelas palavras!

Bom resto de semana. :)

CCF disse...

Também gostei muito!
~CC~

deep disse...

Obrigada, CC! ;)