sexta-feira, setembro 02, 2016

Setembro


Setembro ressuscita os nossos mortos
senta-os nas varandas onde secam os figos
e as casulas, onde cheira ainda a maçãs,
e ali, de mãos pousadas no regaço,
desfiam histórias antigas.

Tornam-nos a vida mais breve
essas horas curtas de Setembro,
em que reaprendemos o caminho
dos campos,
a carícia das mãos sobre as uvas,
o doce sumo dos frutos.

Neste mês de luz coada,
em que o sol põe arrepios sobre a pele,
que conserva ainda a memória do verão,
seguiste o caminho que te afastava de mim.

Das amoras, ficou-me esta tinta indelével
na ponta dos dedos.

Deep, 10 de Setembro de 2013

Em repetição... porque gosto, ainda que seja meu e nele assome alguma tristeza...

Feliz Setembro para que passa. :)

2 comentários:

Isabel Pires disse...

Bonito, deep!
(As tuas férias são enormes. :))
Bom Setembro!

deep disse...

Obrigada, Isabel. :)

Ainda que pareça o contrário, as minhas férias foram apenas o mês de Agosto.

Tenho andado, isso sim, um pouco desligada da net e sem inspiração. Aproveitei para me dedicar sobretudo à leitura e aos passeios (breves, estes).

Quando decidir regressar à normalidade, hei de ter muito para ler, ver e ouvir.

Beijo