domingo, julho 10, 2016

Manhãs de domingo

«As manhãs de domingo são as mais solitárias de todas, é quando Deus acorda demasiado tarde e esquece-se de pôr o mundo em movimento.»
Lars Saabye Christensen, Herman

Li este livro recentemente. Recomendo-o a miúdos (adolescentes) e graúdos. Bem haja a quem teve a gentileza de mo oferecer!

Percebi, entretanto, que se fez um filme baseado no livro.

4 comentários:

Isabel Pires disse...

deep, se eu soubesse escrever assim podia ter grafado estas palavras. Tal e qual. Porque é isto que eu vivo e sinto.
Talvez seja mais comum do que eu supunha...

luisa disse...

Ele também tem direito à preguiça. :))

deep disse...

Isabel, eu sinto isso muitas vezes- Antes de conhecer este livro, ocorria-me frequentemente um excerto de um poema do Gedeão que sugere algo de semelhante:

Aos domingos as ruas estão desertas
e parecem mais largas.
Ausentaram-se os homens à procura
de outros novos cansaços que os descansem.
Seu livre arbítrio algremente os força
a fazerem o mesmo que fizeram
os outros que foram fazer o que eles fazem.
E assim as ruas ficaram mais largas,
o ar mais limpo, o sol mais descoberto.

(...)

ou Drummond:

Nenhum desejo neste domingo
nenhum problema nesta vida
o mundo parou de repente
os homens ficaram calados
domingo sem fim nem começo.

A mão que escreve este poema
não sabe o que está escrevendo
mas é possível que
se soubesse nem ligasse.

ou, ainda, Rui Pires Cabral:

É o frio que nos tolhe ao domingo
no Inverno, quando mais rareia
a esperança. São certas fixações
da consciência, coisas que andam
pela casa à procura de um lugar

e entram clandestinas no poema.
São os envelopes da companhia
da água, a faca suja de manteiga
na toalha, esse trilho que deixamos
atrás de nós e se decifra sem esforço
nem proveito. É a espera

e a demora. São as ruas sossegadas
à hora do telejornal e os talheres
da vizinhança a retinir. É a deriva
nocturna da memória: é o medo
de termos perdido sem querer
a nossa vez.

Talvez muitos de nós experimentemos sentimentos parecidos. :)

Boa semana. Beijo

luisa, claro que tem! :)

Boa semana. Beijo

Isabel disse...

Para mim é ao contrário: adoro a moleza do domingo de manhã. Poder acordar tarde; ficar a ouvir a chuva no inverno ou acordar cedo e passear na cidade vazia...levantar-me cedo, no verão e sentar-me na varanda a ler...gosto das manhãs de domingo:)

Beijinhos e continuação de boa semana:)