quinta-feira, maio 12, 2016

Coisa amar


Contar-te longamente as perigosas
coisas do mar. Contar-te o amor ardente
e as ilhas que só há no verbo amar.
Contar-te longamente longamente.

Amor ardente. Amor ardente. E mar.
Contar-te longamente as misteriosas
maravilhas do verbo navegar.
E mar. Amar: as coisas perigosas.

Contar-te longamente que já foi
num tempo doce coisa amar. E mar.
Contar-te longamente como dói

desembarcar nas ilhas misteriosas.
Contar-te o mar ardente e o verbo amar.
E longamente as coisas perigosas.

                               Manuel Alegre

O poeta nasceu há 80 anos. Parabéns, poeta!

2 comentários:

Isabel Pires disse...

E mar. Amar.
deep, este poema é tão lindo!

deep disse...

Muito mesmo, Isabel! ;)