terça-feira, novembro 24, 2015

Homem

Inútil definir este animal aflito.
Nem palavras,
nem cinzéis,
nem acordes,
nem pincéis,
são gargantas deste grito.
Universo em expansão.
Pincelada de zarcão
Desde mais infinito a menos infinito.

Do poeta António Gedeão e do homem Rómulo de Carvalho, que nasceu num dia 24 de Novembro (1906)

2 comentários:

josé luís disse...

saudades do meu querido professor rómulo…

deep disse...

Que sorte, José Luís. :)