quinta-feira, julho 02, 2015

Pesa-lhes pelo que fica

Desde pequena que oiço, sobretudo à minha mãe, a expressão «Pesa-lhe pelo que fica», para se referir à atitude daquelas pessoas que, na presença de uma mesa farta, comem o máximo que podem, como se temessem vir a sentir remorsos por não terem comido de tudo.
Ultimamente a expressão ocorre-me em relação àquelas pessoas que dizem gostar de alguém, mas que não são capazes de assumir um compromisso, sempre na expectativa de que surja outra pessoa que as satisfaça mais ou que corresponda ao modelo que idealizaram e que, de preferência, possam exibir perante a família e os amigos. 
As pessoas às quais "pesa pelo que fica", num jogo malévolo de egoísmo, arranjam estratagemas para manter suspensa a pessoa com a qual se relacionam, numa situação que é um "nim", que tanto abre possibilidades para um "sim" como para um "não", embora, a maior parte das vezes, vença o advérbio de negação, com um final perverso para a outra pessoa que, sem aviso, é chutada como se já não tivesse utilidade.
As pessoas a quem "pesa pelo que fica" revelam, na minha modesta opinião, falta de maturidade, falta de confiança e, sobretudo, pouco respeito pelas pessoas que, ao longo da vida, vão enganando. 
Embora se convençam de que a solidão em que vivem é um modo de vida opcional e consciente, essas pessoas lidam mal, sobretudo, com os seus "fantasmas" e com os vazios, que procuram preencher com relações fugazes, como se os outros fossem brinquedos que desejaram muito, mas dos quais se cansam rapidamente.

9 comentários:

Jaime Portela disse...

Não conhecia a expressão, mas ela encaixa-se que nem uma luva às relações ambíguas que tão bem caracterizou.
Gosto do seu blogue.
Por isso, vou passar por aqui muitas vezes.
Saudações poéticas.

deep disse...

Obrigada, Jaime, pela visita e pelas palavras. Volte sempre! :)

CCF disse...

Ai é tão verdade...e dói muito, uma dor que fingem ignorar nos outros! Engraçado é que pensava escrever sobre isso a partir de um filme que vi ontem.
Beijinho
~CC~

pcristinasantos disse...

Luísa, também há outra expressão, que é 'querer abraçar este mundo e o outro'!
Boa reflexão!

deep disse...

CC, dói sempre.
Só por curiosidade:qual é o filme?
Beijinho

Paula, essa expressão também se adequa.
Obrigada.
Beijinhos

Dulce disse...

Aos poucos aprendemos a partir sem demasiada mágoa. E às vezes a partir antes de nos mandarem embora...

deep disse...

Dulce, ideal seria conseguirmos sair com leveza, sem qualquer mágoa e que o coração conseguisse acompanhar a lucidez da cabeça.

Bom fim-de-semana. :) Bj

nêspera disse...

Custa-lhes pelo que fica (diria a minha mãe) e morra Marta, mas morra farta.

Bom fim-de-semana :)

deep disse...

nêspera, uma e outra expressão encaixam. Essas pessoas podem "morrer" fartas,mas não satisfeitas. :)