sexta-feira, junho 12, 2015

Palavras ilustradas


A minha irmã decidiu pegar num dos meus "devaneios" e ilustrá-lo. Deixo-vos o resultado.

Escrevo-te deste lugar
onde o silêncio sufoca
as nossas vozes,
onde tenho apenas por companhia
as aves que vêm beber a água
que brota das minhas mãos.
«É amor», dizem.

Trazem notícias do sul,
sede de ternura e, no bico,
sementes de esperança.

Observo o seu voo, sinuoso e, nele,
intuo o meu desespero.
Com elas, voo em círculos,
aguardando a hora
em que possa pousar a minha cabeça
no teu colo.

Deep, Novembro de 2014

5 comentários:

Isabel disse...

É bonito o poema e a ilustração é muito gira!
Duas manas talentosas:)
Bom fim-de-semana:)

Kátia disse...

Olá!

Fez muito bem a sua irmã!Seu "devaneio" é belíssimo e foi bom partilhar em seu espaço.Saudades de vir cá...como estás?
Bom fim de semana e um beijo!

deep disse...

Muito obrigada, Isabel! ;) Bj

Muito obrigada, Kátia, pelas palavras e pela visita. :)Bj

Armando Sena disse...

Voando...em tons de liberdade.
bj

Mar Arável disse...

Voos cruzados

nos mastros mais altos

Bj