sábado, julho 12, 2014

Os poemas não se medem aos palmos

Amo-te como buganvílias caídas ao redor
das casas ou o luar branco dos caminhos,
ou a substância audível da tua respiração.


José Rui Teixeira

(... como as pessoas, que são do tamanho do que vêem e não do tamanho da sua altura. Adoro buganvílias...)

4 comentários:

Isabel disse...

Bonito!
Também gosto das buganvílias, quando estão carregadinhas de flor.
As buganvílias e os brincos-de-rainha não querem nada comigo. Já tive vários e não vingam...

Bom domingo :)

Daniel C.da Silva (Lobinho) disse...

Independentemente da forma, o importante é amar...

Lídia Borges disse...


Perfumado! E grande!...

Um beijo

deep disse...

Isabel, as buganvílias também não querem nada comigo, já os brincos de princesa vão aguentando.
Bom resto de semana. :)

Daniel, sem dúvida. :)

Lídia, é mesmo, por isso nos enche tanto. Beijo