sexta-feira, julho 25, 2014

Aritmético


(Imagem daqui)

Calcula como as minhas
janelas se fecham ao verão
e à vida que corre lá fora.
Calcula como me escondo
sem rosto e como todo o
desassossego me inquieta.
Vou coleccionando livros,
guardo-os junto à cabeceira
como objectos raros.
Observo o significado das palavras
sem que o sentido me acalme.
Como se o meu desafio fosse
um jogo de palavras sem volta.
Considera que me procuro
por cada verso que escrevo
em cada estrofe que reparo.
Talvez porque tudo se resumirá
a um mero erro de cálculo
[ou outra coisa qualquer.

Miguel Pires Cabral, Erros de cálculo ou outra coisa qualquer

2 comentários:

Isabel disse...

Gostei da imagem e do poema.
Fui espreitar o site de onde foi tirada a imagem e tem imagens muito giras!

Bom fim-de-semana :)

deep disse...

Isabel, é uma página em que gosto de passar. :)