terça-feira, maio 06, 2014

O desconforto dos vestidos bordados

No Verão dos meus 14 anos, o meu pai teve de ir a Lisboa e levou-me com ele. Depois de três dias na capital, em casa dos padrinhos e da prima, que era mais nova do que eu um ano e uns meses, o meu pai regressou a casa, Contudo, eu recebi um convite para ficar mais uns dias. Acabei por ficar um mês e meio, durante o qual fiz umas incursões, mais breves, pelas casas de outros familiares, todos com filhos (sobretudo raparigas). Esse foi apenas o primeiro de muitos Verões na capital.
Lembro-me de ter ido, um dia, com a minha prima a casa de uma amiga, onde nos reunimos com a dona da casa e outros amigos. Eu era, como ainda sou um pouco, tímida. Além disso, estava longe daquele mundo, na forma de vestir e nos referentes, pelo que não pude deixar de me sentir deslocada e a mais. Apesar disso, tentei estabelecer a ponte com aquelas pessoas, mas sem sucesso. Na verdade, para elas, eu não passava de uma "parola" da província, que, com aquela idade, usava ainda vestidos bordados - na realidade, no dia-a-dia, preferia, como hoje, jeans e t-shirts, mas, como menina ingénua, decidi levar, para a visita à capital, algumas peças melhores, sobretudo vestidos, que larguei de vez quando regressei, tal foi o trauma.
Tudo isto vem a propósito das visitas que, por vezes, fazemos a certos blogues. Entramos, lemos, comentamos, no entanto os seus anfitriões, que são pessoas suficientemente cordiais para responderem aos comentários dos frequentadores habituais, são, por outro lado, manifestamente rudes para tratar como intrusos aqueles que ousam entrar nos seus domínios. Ainda que não queiramos, não deixamos de nos sentir meninas ingénuas da província, desconfortáveis nos seus vestidos bordados.

7 comentários:

© Piedade Araújo Sol disse...

nos blogues nunca senti esse desconforto, mas, todos somos diferentes.

boa semana.

beijo

:)

deep disse...

Piedade, talvez seja a minha hipersensibilidade a falar por mim. :)

Boa semana.

Beijo

Isabel disse...

Estive aqui a escrever um "testamento" que acabei por apagar, porque se calhar vou fazer um post sobre o assunto.

Tens toda a razão!

DIOGO_MAR disse...

O que dizes está patente, num post que escrevi e publiquei no meu blog, chama-se
A MONTRA HIPÓCRITA DA BLOGOSFERA

http://diogo-mar.blogspot.com/

deep disse...

Isabel, felizmente nem sempre acontece! :)

Diogo, já li o teu texto. Acontece na blogosfera o mesmo que acontece as redes sociais em geral, até nas páginas de fotografia, em que a qualidade das fotos determina pouco o número de visitas. :)

Isabel disse...

Acabei não fazendo o post, mas que há pessoas muito snobs e arrogantes na blogosfera, acho que há. Mas também cada um tem os seus objectivos ao criar o blogue. Eu criei o meu essencialmente para "conversar" e aprender com os blogues ( e seus autores) de que gosto. E tenho aprendido muito, porque muitas vezes o que leio num blogue leva-me a pesquisar mais sobre o assunto. Falo essencialmente de livros e autores e pintura, dois temas de que gosto particularmente.

Bom fim-de-semana!

deep disse...

Isabel, o meu post foi um desabafo. Na verdade, como escreves, cada um sabe dos objectivos que o traz à blogosfera. Eu gosto de partilhar e, sobretudo, de me enriquecer com o que outras pessoas vão postando.
Um bom fim-de-semana. :)