quarta-feira, maio 07, 2014

Lugares

A pessoa que se vê na imagem sou eu, a caminhar nos jardins da Gulbenkian. No regresso à capital, senti vontade de revisitar este espaço e de o apresentar à minha afilhada mais velha (é ela a autora da foto). 



Ainda na adolescência e mais tarde, sobretudo no tempo da faculdade, sempre que ia a Lisboa, passar pela Gulbenkian era quase obrigatório. Foi aqui, no grande auditório, que assisti a um bailado da Pina Bausch. É também daqui que vem a primeira memória de uma exposição de impressionistas ou do primeiro contacto com a pintura de Amadeo de Souza Cardozo, de Almada e de outros modernistas portugueses. Lembro-me que visitei a exposição sobre os impressionistas, por altura do Dia Mundial da Música, entre dois concertos, um de piano e de violino, no pequeno auditório, e outro de orgão de tubos, no grande auditório.
Desta vez, a passagem por este mini paraíso ficou restrita à hora de almoço, pelo que nos limitamos a passear pelos jardins, com uma pausa muito breve para um café. Ainda assim, e apesar de continuar a preferir Serralves (os lisboetas que me desculpem), o regresso foi agradável.

4 comentários:

Daniel C.da Silva (Lobinho) disse...

Um jardim que tem sempre tantos recantos a descobrir... ou a fruir... :)

beijo amigo

deep disse...

Muito bonito, Daniel. :)

Bj

Isabel disse...

Só fui umas quatro ou cinco vezes à Gulbenkian. Adorei sempre!
As últimas vezes foi para ver a exposição do Fernando Pessoa e depois da Clarisse Lispector.

Gostaria de ter oportunidade de ir lá mais vezes...

Está gira a foto!

deep disse...

Isabel, não passava por lá há alguns anos, mas, como referi, soube bem.

:)