sexta-feira, março 21, 2014

Toda a poesia

é luminosa, até
a mais obscura.
O leitor é que tem às vezes,
em lugar de sol, nevoeiro dentro de si.
E o nevoeiro nunca deixa ver claro.
Se regressar
outra vez e outra vez
e outra vez
a essas sílabas acesas
ficará cego de tanta claridade.
Abençoado seja se lá chegar.

Eugénio de Andrade, Os Sulcos da Sede

Feliz Dia da Poesia... ainda que todos devam ser dias com lugar para a poesia!

2 comentários:

Kátia disse...

Eu amo poesias!E que possamos perpetuar sempre as mais belas e os mais queridos autores com nossas leituras e partilhas.
Bom final-de-semana!
Beijos!

deep disse...

Kátia, eu também gosto muito de poesia e todos os pretextos são para mim bons para a publicar.

Bom fim-de-semana

Bjs