segunda-feira, junho 03, 2013

Dá-me um lugar

dá-me um lugar onde possa reclinar a cabeça
um colo onde possa adormecer
e te saiba por perto

dá-me mãos inteiras de chuva
os lírios que a manhã me trouxe aos olhos
uma única razão para o dilúvio

e eu dar-te-ei um verso
do tamanho de uma casa

José Rui Teixeira

7 comentários:

Cristina Cebola disse...

Belo poema!!
Boa semana...abraço amigo!

Armando Sena disse...

"...e eu dar-te-ei um verso": não há recompensa maior.

deep disse...

Um abraço, Cristina. :)

Armando, ... porque nasce da ternura que temos pelo outro ou que o outro tem por nós. :)

CCF disse...

Boa troca!
~CC~

deep disse...

Pois é, CC!

Isabel disse...

Gostei do poema.

deep disse...

:)