sábado, junho 15, 2013

A porta

Vai e abre a porta.
talvez lá fora haja
uma árvore, ou um bosque,
um jardim,
ou uma cidade mágica.

Vai e abre a porta.
Talvez haja um cão a vasculhar.
Talvez vejas uma cara,
ou um olho,
ou a imagem
de uma imagem.

Vai e abre a porta.
Se houver nevoeiro
dissipar-se-á.

Vai e abre a porta.
Mesmo que nada mais haja
Que o tiquetaque da escuridão,
Mesmo que nada mais haja
Que o vento surdo,
Mesmo que
nada
haja,
vai e abre a porta.

Pelo menos
haverá
uma corrente de ar

Miroslav Holub (poeta checo)

5 comentários:

© Piedade Araújo Sol disse...

por vezes até é melhor nem abrir a(s) porta(s).

não conhecia este autor.

bom fim de semana.

beijo

:)

Nilson Barcelli disse...

Portas fechadas não deixam passar...
Bela escolha poética.
Querida amiga, tem um bom fim de semana.
Beijo.

deep disse...

Piedade, só soube deste autor há dias. Sim, por vezes, talvez seja melhor não abrir certas portas.

Boa semana. Um beijo :)

Nilson, obrigada. Uma boa semana para ti. Beijo. :)

Mar Arável disse...

Portas abertas
janelas escancaradas

Isabel disse...

Bonito, o poema e a foto!