quarta-feira, abril 03, 2013

Se o vires



Edward Hopper, "Morning Sun"

Se o vires, diz-lhe que o tempo dele não passou;
que me sento na cama, distraída, a dobar demoras
e, sem querer, talvez embarace as linhas entre nós.
Mas que, mesmo perdendo o fio da meada por
causa dos outros laços que não desfaço, sei que o
amor dá sempre o novelo melhor da sua mão. Se

o encontrares, diz-lhe que o tempo dele não passou;
que só me atraso outra vez, e ele sabe que me atraso
sempre, mas não de mais; e que os invernos que ele
não gosta de contar, mas assim mesmo conta que nos
separam, escondem a minha nuca na gola do casaco,
mas só para guardar os beijos que me deu. Se o vires,

diz-lhe que o tempo dele não passa, fica sempre.

Maria do Rosário Pedreira 

(Texto surripiado daqui.)

5 comentários:

© Piedade Araújo Sol disse...

uma boa escolha.
gosto de todos os poemas sem excepção da Maria do Rosário Pedreira.
um beijo

:)

CCF disse...

Que lindo...comprei o último livro dela, o da poesia completa.
~CC~

Mar Arável disse...

Memórias que o tempo não apaga

Lídia Borges disse...


A Maria do Rosário Pedreira tem uma poesia que nos toca como se corpo tivesse.

Um beijo

deep disse...

Obrigada, Piedade. Eu também gosto de toda a sua poesia. Beijo :)

CC, pois é... Há tempos comprei a Poesia Reunida, mas acabei por oferecê-la. Hoje veio outro volume ter comigo. :)

Mar Arável, :).

Lídia, assim é. :) Beijo