quarta-feira, março 13, 2013

Só mais um dia


Só mais um dia,
um dia luminoso e barulhento
por mim a dentro,
um dia bastaria,
em prosa que fosse.

Mas dá-me para a melancolia,
para a limpeza, para a harmonia,
impacientam-me as migalhas
de pão na mesa, as falhas
da pintura do tecto,
as vozes das visitas, despropositadas,
sinto-me sujo como um objecto,
desapegado, desarrumado.

Trocaria bem esse dia
por um pouco de arrumação
- no quarto e no coração.

Manuel António Pina, Todas as palavras

2 comentários:

Anónimo disse...

Tenho andado a descobrir Manuel António Pina e cada vez gosto mais da sua poesia.

Lídia Borges disse...


Uma poética marcada pela despersonalização do sujeito, pela procura do "eu" entre os escombros de um quotidiano de desassossegos e dispersões.

Tenho o "Todas as Palavras" na mesinha de cabeceira.


Um beijo