sábado, novembro 03, 2012

Enquanto aguardo

Aguardo. Enquanto isso, o meu olhar detém-se no quadro exterior que um rectângulo de janela emoldura. Enche quase todo o espaço uma casa bicolor, em que o branco predominante contrasta com um cinzento claro da parede da varanda, onde se recortam uma porta e uma janela. Serve-lhe de fundo um céu plúmbeo, opaco.
Dão cor à imagem o vermelho do telhado e o verde mostarda das folhas de uma árvore que se impõe à fachada da casa. As folhas da árvores agitam-se, obedecendo ao capricho de um vento moderado que torna mais frio o ambiente exterior.
A espaços, raios de sol iluminam a casa e as folhas da árvore, que ganham tons de oiro.
Observo este quadro e imagino que, embora muda, a casa há-de guardar muitas histórias, será a depositária de segredos e de inconfessadas mágoas.

2 comentários:

Anónimo disse...

Muito bonito e muito bem escrito.

deep disse...

Obrigada! :)