quinta-feira, outubro 18, 2012

O teu rosto


É o teu rosto ainda que eu procuro
Através do terror e da distância
Para a reconstrução de um mundo puro.

                                                                  Sophia de Melo Breyner

2 comentários:

Hanaé Pais disse...

Mundo puro, isso existe?
Sim...talvez...mas apenas do outro lado margem!

deep disse...

É poesia... nesse mundo ainda é possível acreditar. :)