terça-feira, junho 05, 2012

Talvez um desabafo

Chego a casa, cansada, depois de muitas horas de trabalho, de alguns aborrecimentos menores, mas também de alguns pequenos sucessos. Descalço os sapatos e sento-me confortavelmente, enquanto saboreio um café acabado de fazer, em cafeteira italiana, como prefiro. (Aprecio igualmente o aroma que se espalha pela casa.) 
Ligo o computador e abro o Facebook , ao qual continuo a reconhecer alguma utilidade, por um certo número de partilhas e, sobretudo, porque me permite o contacto diário com alguns amigos que estão longe e dos quais teria menos notícias - e mais espaçadas -, doutra forma. Apercebo-me, contudo, que há algo neste modo diário de estar com os outros que começa a saturar-me. Talvez seja esta exposição em demasia, que, na verdade, não se coaduna com a minha forma reservada de estar na vida. Talvez  seja  a quantidade de "lixo" que invade o espaço e para o qual eu própria contribuo, obviamente. Ou talvez seja, sobretudo, a atitude de algumas pessoas que se aproximam de nós e que, convencidas da nossa ingenuidade, nos "usam" para atingir ou chegar a outros. Não me incomoda que as pessoas se aproximem, aborrece-me e entristece-me, em particular, que menosprezem a minha inteligência que, não sendo excepcional, não é algo de que deva envergonhar-me (!!).
Regresso, por tudo isto, com mais vontade a este espaço que, embora público, continua a ser um a espécie de refúgio, em que ainda me sinto em casa.

2 comentários:

Anónimo disse...

Desabafo interessante. Um blogue é bem mais pessoal do que uma página do facebook. Disso não tenho dúvida também. Ainda por cima, no facebook, há pessoas que fazem das suas páginas autênticos corredores de lixo que partilham sem qualquer triagem, só para, constantemente, mostrarem coisas.

deep disse...

Obrigada. :) Sobretudo nos tempos que correm, em que menos pessoas acedem aos blogues, este tendem a tornar espaços cada vez mais "íntimos".

Obrigada pela presença. Bom fim-de-semana. :)