terça-feira, junho 19, 2012

Não procures verdade

Não procures verdade no que sabes
Nem destino procures nos teus gestos
Tudo quanto acontece é solitário
Fora de saber fora das leis
Dentro de um ritmo cego inumerável
Onde nunca foi dito nenhum nome


Sophia de M. B. Andresen

3 comentários:

Mar Arável disse...

Grande Sophia

Anónimo disse...

Belo.

deep disse...

Sem dúvida, Mar Arável e "anónimo". :)